Imprensa

Governo desafia INTIC a melhorar prestação de serviços

Governo desafia INTIC a melhorar prestação de serviços

O Ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-profissional, Jorge Nhambiu, desafia o Instituto Nacional de Tecnologias de Informação e Comunicação (INTIC), a melhorar a qualidade de serviços prestados em Moçambique.

O ministro lançou o repto hoje, em Maputo, na sessão de abertura do IV Conselho Consultivo da INTIC, um evento de dois e que decorre sob o lema “Promovendo a Regularização das TICs para a Massificação da Sociedade da Informação”.

Durante o evento os participantes vão fazer o balanço das actividades realizadas durante o último quinquénio, bem como debater estratégias para facilitar a massificação e formação no uso das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC).
O encontro também tem por objectivo reflectir sobre as metas alcançadas durante o meio-termo do presente ciclo de governação, quinquénio 2015-2019, bem como revisitar as estratégias, metodologias, mecanismos e técnicas para melhor realização das suas actividades nas novas atribuições de regulador do sector das TICs.
“Neste contexto somos todos exigidos como sociedade, maior empenho, articulação e criatividade para o alcance dos objectivos almejados, incluindo, maior promoção e massificação da formação e uso das tecnologias de informação, com vista a melhorar a prestação dos serviços públicos e a alavancar a governação participativa’’, disse o governante. 
Apontou a necessidade de se imprimir uma maior dinâmica na regulamentação e implementação da Lei das Transacções Electrónicas, de modo a melhorar a confiança dos cidadãos no uso da internet, como um dos desafios na etapa do meio-termo do quinquénio.
Por sua vez, a Directora-geral do Instituto Nacional de Tecnologias de Informação e Comunicação, Dulce Chilumbo, salientou que um dos pontos a ser revistado diz respeito a promoção das empresas das TICs e dos provedores de serviços, bem como a criação de instrumentos que estimulem a competitividade destes segmentos no alavancamento da economia nacional.
‘’Há necessidade de revisitar o estabelecimento de regras para o acesso e utilização dos serviços de registo de nomes de domínio, que sejam consentâneos com as boas práticas e promover cada vez mais a presença de serviços online’’, referiu Chilumbo.
O INTIC coordena a implementação de iniciativas de serviços electrónicos, na administração pública, desde o nível central até ao distrital e compreende a massificação e a formalização da formação em TICs, de modo a fazer destas instrumento catalisador da reforma do sector público e desenvolvimento nacional sustentável.
AIM