Imprensa

Primeira-Dama destaca importância das consultas Pré-Natais

Zavala, 12 Mar. (AIM) – A Primeira-dama moçambicana, Isaura Nyusi, exortou hoje às mulheres grávidas de Quissico, vila-sede do distrito de Zavala, província meridional de Inhambane, para que façam consultas pré-natais e tenham partos assistidos no hospital, pelo facto de já terem sido criadas condições para o efeito.

Explicou que se assim o fizerem terão conhecimento sobre o estado da sua gravidez, como será o parto e os cuidados a tomar para evitar situações de risco.
A Primeira-dama falava durante a cerimónia de certificação e atribuição pelo Ministério da Saúde (MISAU) do título de modelo à maternidade do Hospital Distrital de Quissico.
Este é um modelo de maternidade num hospital limpo, seguro, saudável e que presta cuidados de saúde de qualidade e humanizados.
“Sinto-me feliz por testemunhar o reconhecimento desta maternidade, porque tenho a consciência que ao acreditarmos a mesma como modelo, estamos a assumir que neste local as nossas mulheres e crianças têm e sempre terão um atendimento com a melhor qualidade técnica e com o máximo humanismo”, disse a Primeira-dama.
Manifestou a sua satisfação com a contribuição que a nova maternidade modelo oferecer para que os partos lá assistidos sejam acontecimentos importantes e felizes na vida das mulheres e de suas famílias.
Na nova maternidade, disse a Primeira-dama, “não sairão famílias tristes porque a mulher ou mãe morreu ao dar vida a um novo ser”.
Segundo Isaura Nyusi, garantir a vida da mulher e criança não resulta apenas de uma melhoria na qualidade técnica e profissional das unidades sanitárias, pois também é fruto de uma melhoria do relacionamento entre o pessoal da saúde e a comunidade.
A maternidade modelo é aquela que alcança a excelência tanto nos cuidados técnicos como na forma humanizada de tratamento das suas utentes.
Por isso, encorajou aos profissionais de saúde para que continuem a trabalhar no sentido de garantir um atendimento humanizado aos utentes no geral, e às mulheres e crianças em particular.
“Peço que prestem a elas toda a informação necessária para cada situação. Ofereçam as melhores opções de tratamento disponíveis e envolvam a família e a comunidade na resolução dos assuntos que a ela estão ligados. Enfim, o hospital é vosso. Continuem a trabalhar em conjunto e saibam tirar o máximo benefício desta colaboração e tenham sempre como referência o sentido de humanismo que deve dominar as relações entre os profissionais e os utentes”, recomendou a Primeira-dama.
Convidou todas as mulheres que não tencionam gerar um filho num futuro próximo para que façam uso das consultas de planeamento familiar, onde poderão receber informações e aconselhamento sobre os melhores métodos disponíveis para evitar uma gravidez indesejada.
O director do Hospital Distrital de Quissico, Carlos Estevão, disse por seu turno que não se pode falar de maternidade modelo sem abordar questão da qualidade e humanização dos cuidados de saúde.
Por isso, foi criado naquela unidade sanitária um comité de qualidade e humanização dos cuidados de saúde, que tem dado uma valiosa contribuição no bom relacionamento com a comunidade a vários níveis.
“Impõem-se que primemos pela melhoria gradual e segura dos serviços oferecidos às populações. Porque o hospital não são paredes, mas sim os profissionais que lá trabalham, declaramo-nos abertos a qualquer contribuição da sociedade, no sentido de melhoria dos serviços oferecidos às populações”, disse.
A maternidade hoje certificada possui 44 camas e cinco enfermarias para uma população calculada em 350 mil habitantes, dos distritos de Zavala, Inharrime, Panda. Também deverá assistir os residentes do distrito de Manjacaze, na vizinha província de Gaza.
A maternidade foi reconhecida pelo seu excelente desempenho no cumprimento dos padrões definidos, tendo atingido em 89,7 por cento em 2014 contra 50,7 por cento em 2013.
Esta certificação foi atribuída por uma comissão nacional de avaliação externa, criando deste modo um ambiente seguro para as mulheres, recém-nascidos, trabalhadores de saúde e comunidade em geral.
A maternidade e enfermaria modelos são iniciativas do governo moçambicano, através do MISAU, financiadas pelo povo americano, através da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e dos Centros para o Controlo e Prevenção de Doenças.