Imprensa

Proteger a pessoa idosa

Proteger a pessoa idosa

A MINISTRA do Género, Criança e Acção Social, Cidália Chaúque, afirmou ontem na Massinga, província de Inhambane, que as gerações mais jovens têm a obrigação de honrar a pessoa da terceira idade, porque são dotadas de conhecimento que pode ser útil para as novas gerações.

Chaúque proferiu estas declarações no âmbito da celebração do Dia Internacional da Pessoa da Terceira Idade, celebrado ontem em todo o mundo.

Cidália Chaúque disse que ser idoso significa maturidade, responsabilidade, estar dotada de um conjunto de conhecimentos e de experiência que devem ser transmitidos aos mais novos. Significa também, como disse, ser guardião de valores culturais, económicos e sociais importantes para a edificação de uma sociedade sã e harmoniosa.

“Por isso as pessoas idosas devem ser vistas como espelho do passado e, mais do que isso, como a ponte entre o passado e o futuro”, afirmou.

Sob o lema “Valorizar as Pessoas Idosas, Respeitar os Seus Direitos”, o Dia Internacional da Pessoa da Terceira Idade, cujas cerimónias centrais no nosso país tiveram lugar no populoso distrito da Massinga, centro da província de Inhambane, a titular da pasta do Género, Criança e Acção Social reafirmou o cometimento do Governo moçambicano na busca de soluções para minimizar os problemas que ainda colocam os idosos como vítimas.

Afirmou que não obstante as pessoas idosas serem vítimas de negligência, maus-tratos e abandono, nos últimos anos tem se registado grande esforço do Governo e da sociedade na procura de soluções dos problemas que afectam esta camada social.

Para o efeito, Cidália Chaúque indicou a aprovação do segundo plano nacional da pessoa idosa a vigorar a partir deste ano e que congrega intervenções e acções de assistência social a serem implementados por diferentes sectores para o bem-estar social das pessoas.

A governante disse também que para garantir uma maior assistência social às pessoas da terceira idade o Executivo tem estado também a implementar programas para o bem-estar social daquela casta social.

“É assim que no programa do subsídio social básico implementado pelo Governo dos 340 mil beneficiários mais de 93 por cento são idosos. Nos 11 centros abertos em todo país para o apoio à velhice são assistidos 500 idosos desamparados e mais de 19 mil idosos frequentam os centros abertos, actividades ocupacionais e têm espaço para interagir com as gerações mais novas”, indicou a governante.

No entanto, manifestou a sua preocupação devido à prevalência de situações de falta de respeito, violência física e psicológica, humilhação, abandono e ainda acusações de feitiçaria, muitas vezes fomentados por familiares. Ela acrescentou que são sinais muito preocupantes e que constituem grandes desafios para o Governo e a sociedade.

Para assinalar a data a ministra do Género, Criança e Acção Social almoçou com as idosas no Centro de Apoio à Velhice da Massinga e ofereceu meios de compensação a 50 deficientes de todas idades. Entre estes inclui-se cinco triciclos, 10 cadeiras de rodas e ainda 200 bicicletas para os comités de permanência que têm como responsabilidade identificar crianças e velhos em situação de abandono.